Teddy Boys e Jelly Roll Grease: ligados pela história

Moda é cultura e engloba desde o estilo de vestimenta até o penteado. Essa definição perpassa gerações e a prova disso é o nascimento, no início dos anos 50, da subcultura dos Teddy Boys, que permanece latente até hoje em especial pelo vínculo com a subcultura da barbearia.

Os Teddy Boys eram jovens ingleses, de baixa renda e amantes de rock que não podiam se dar ao luxo de diversões caras. A solução era agrupar-se em cafés, pubs e locais do estilo. Como figurino, adotaram as roupas inspiradas na era eduardiana que a Savile Row, rua famosa por ser um pólo de moda da época, tentou re-introduzir após a segunda guerra mundial.

Lapelas aveludadas e bolsos com abas compunham as jaquetas dos Teddy Boys, que se tornaram um símbolo desta tribo. No entanto, o que realmente ficou dos Teddy Boys é o penteado Jelly Roll (olha aí a origem de nossa marca!). Quem usava esse tipo de corte era considerado baderneiro e perigoso mas muito vaidoso, mantendo o seu Jelly Roll sempre arrumado. E para deixá-lo ainda mais especial, na parte de trás era comum finalizar com o Duck Ass.

O mais fascinante é que os Teddy Boys não desapareceram totalmente. Após o auge do fenômeno entre meados dos anos 50 e início dos anos 60, a tribo ainda teve um retorno entre as décadas de 70 e 80, possuindo até hoje seus adeptos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.